quarta-feira, 27 de maio de 2015



Família e Desigualdade
Seria fácil através de uma pesquisa conceitual adaptar-se vários pensamentos sociológicos e filosóficos sobre este tema, e mesmo com uma poderosa bagagem de pensamentos intelectuais não conseguiríamos expressar o sentimento humano contido em cada um dos integrantes deste circulo social que se perpetua como o pilar de toda comunidade, mesmo com sua crescente modificação vista por alguns como degradação ela continua existindo através dos séculos!
O que é a Família para o Homem? A participação do homem na família como no seu nascimento, inserido neste ambiente o momento da concepção já começa a ser preparado para conviver, amar e defender o mesmo. Através de regras, disciplinas e conceitos adotados pelos dirigentes desta instituição modela-se o caráter do mesmo (pelo menos esse é o intuído). Basicamente ele é preparado para um dia formar sua própria família, sustenta-la e protege-la a todo custo!
O que é a família para a Mulher? Também com sua inserção no ambiente familiar no momento da concepção, a mulher é cuidada e preparada de uma maneira diferente, cercada de cuidados com um ser frágil e sensível ela é preparada para ser protegido por todos os membros da prole, pai, mãe, irmãos e finalmente aquele que irá cuidar da mesma o resto de seus dias; o marido! Mesmo que não seguido a risca este é o pensamento inicial da maioria dos lideres de uma família na formação de seus membros que se compõem Homem/Mulher.
Esses conceitos podem ajudar algumas pessoas a se conduzirem durante toda uma vida e os levarem a uma satisfação próxima a felicidade! Mas no meio de tudo isso existe uma coisa que não foi acrescentada; A capacidade humana de ser diferente, como diferente? Diferente em vários sentidos, situações e opções, como consequência da não preparação para convivermos com as mesmas e aceita-las como parte do livre arbítrio do ser humano, podem levar a destruição e desfragmentação desta instituição essencial para a estrutura solida de uma sociedade!
Pré-conceitos e dogmas indissolúveis agregados por gerações podem destruir relações e nos levarem a sofrimentos por longos anos, alguns chegando ao arrependimento em seu leito de morte! Essas diferenças podem se aplicar em varias situações tais como: profissionais, afetivas ou até mesmo sexuais. Em resumo precisamos aprender a respeitar e aceitar as diferenças, mesmo não concordando que é um direito de cada um, não podemos de jeito algum deixar de amar essas pessoas por serem e pensarem diferente de nós mesmos!


MARCOS CESAR DUTRA – POETA E ESCRITOR.